Desde 2006 servindo algumas lasanhas e muitas abobrinhas.

Marcadores

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Loucura, loucura, loucura!

Balada_do_Louco
(Composição: Arnaldo Baptista / Rita Lee)
Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no céu
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, eu sou feliz

Neste 50º post do "Lasanha deAbobrinha" começarei a tratar sobre os assuntos sugeridos pelos leitores. O primeiro será "loucura".

Louco de amor, louco de fome, louco de tanto trabalhar, loucos por carro, loucos por futebol... Tá todo mundo louco! Mas o que é a loucura? Segundo a Wikipédia: "A loucura ou insânia é uma condição da mente humana caracterizada por pensamentos considerados "anormais" pela sociedade. É resultado de doença mental, quando não é classificada como a própria doença. A verdadeira constatação da insanidade mental de um indivíduo só pode ser feita por especialistas em psiquiatria médica." Ou seja, só um profissional especializado pode diagnosticar uma doença mental.

Me lembro claramente de que quando era pequena, minha avó me ameaçava dizendo que o "maluco" ia me pegar caso não me comportasse quando saia com ela. E me parecia que em cada canto de Salvador havia um "maluco" pra me pegar. Eu sentia um medo! Só sei que sempre me comportei muito bem... Hoje percebo que muitos daqueles malucos eram na verdade alcoolátras ou mendigos. Mas eram todas pessoas que eu não conhecia.

Até que quando eu tinha uns 9 anos vi a empregada doméstica de um apartamento do mesmo conjunto habitacional que eu morava, pessoa que conhecia pois trabalha num prédio próximo ao que eu morava, sendo dando um surto! Ela gritava e tentava bater em todos, até que foi dominada por três homens. Lembro de uma pessoa perto de mim, enquanto assistíamos ao acontecido, falar à outra que já haviam chamado o carro pra levá-la ao manicômio. Eu não sei se foi a primeira vez que ouvi essa palavra, mas posteriormente toda vez que ouvi/li "manicômio" me lembro desse evento.

Claro que nem todos têm esses surtos violentos! No bairro que moro há anos via um senhor com cerca de cinquenta anos que arrastando um saco enorme, anotava em vários papéis as placas dos carros que via. Uma vez, testemunhei ele anotando placa por placa de todos os carros que estavam defronte um condomínio, cerca de 12 automóveis. A história que soube é que após muito esforço aquele homem havia conseguido comprar um carro... que depois foi roubado. Então, ele passou a procurar seu carro, comparando as placas. Assim como há outros(as). Acredito que cada um conheça uma pessoa que sofre de problemas mentais e circula pelas ruas de sua cidade.

Outros viram verdadeiras personalidades. No centro de Salvador, há e por muitos anos, perambulou uma figura conhecida como "A Mulher de Roxo". Como o apelido já entrega, ela se vestia completamente de roxo, da cabeça aos pés. Até um filme foi feito com as várias versões para aquela senhora ter chegado àquele estágio, desde que havia sido uma noiva largada no altar até que era a cafetina de um bordel que incendiou. A verdade, nunca se soube!

Cortar um pedaço da própria orelha esquerda e oferecer o pedaço cortado à uma prostituta, embrulhado em um pedaço de jornal pode ser considerado um sinal de loucura? Pelo menos é um comportamento anormal... Pois o autor desse quadro que hoje ilustra meu blog fez isso. Como muitos devem saber, esse homem foi Van Gogh. Esse quadro é um auto-retrato, feito depois que o artista cortou a sua orelha. O pintor apesar de ter enfrentado algumas problemas mentais, estes não impediram sua produção artística. Quem quiser ler um pouco sobre Van Gogh, já sabe! Clique aqui.

A loucura (alheia, óbvio!)possui um carater fascinante que foi retratado nas diversas artes. Quem não leu "O_Alienista" de Machado de Assis deixou de ler um conto muito divertido e inteligente sobre o tema. (Na verdade, toda a obra do autor é imperdível!) Quem quiser conferir uma mostra de quadros influenciados por esse tema, visite este_site. Eu achei bem interessante!

Na verdade a sugestão para o post era que fosse uma poesia sobre a loucura. Mas infelizmente eu sou sei fazer poesia do tipo que rima "chão" com "mão", "panela" com "janela". De início, não estava muito animada em fazer poesia, porque além de ser uma poetisa sem-talento, também sou exigente! A poesia tem que refletir meu estado de espírito e eu vivo na ilusão que sou perfeitamente normal, inclusive a nível mental. Porém, como também não gostaria de deixar esse desafio pela metade, aí vai:

Batatinha quando nasce não se esparrama pelo chão.

E quem foi quem inventou essa história da menina com a mão no coração?

Me falaram que a batata é uma raiz e antes de dormir a menina assoa o nariz.

Isso é uma poesia encomendada sobre a loucura e quem duvidar que vá comer farinha pura!

7 comentários:

Marcelo Soares disse...

Pô! Bem legal seu blog, Parabéns, você escreve muito bem.

Depois passa lá no meu Blog:

http://kalanguiano.blogspot.com/

Fábio disse...

Uma vez entrei em uma discussão com a minha irmã sobre isso... e eis que surge...
Para a sociedade uma pessoa que não pensa como a maioria é louca e para o Louco? Pra ele ele é normal e o resto da sociedade é Louca.

Agora vem a pergunta. Quem é o louca a situação?
Um cara que faz o que quer da vida sem se preocupar com o que os outros pensam ou o restante que faz tudo que alguém manda?

Estranho, não?

Beijos

malfardado disse...

Adorei o post sobre os loucos, O Livro O Grande Mentecapto de Fernado Sabino alem de ser uma obra maravilhosa, retrata muito bem a insanidade humana (fica aqui então um dica)

Mas no inicio do post, acho que voce se esqueceu de mensionar uma "fonte" de loucura, a internet, adorei seu post, seu blog.


beijão

rodolpho_162 disse...

Caraca... meu pai me deu O Alienista a um tempo, mas nunca fui fã de literatura brasileira, até que li o livro.... AMEI.. dai foi um pulo né... comecei a devorar as obras dele e inclui outros autores brasileiros como Dias Gomes (q também é ROX)... Os poetas brasileiros eu já conhecia e gostava pra caramba.
Mas loucura é de fato um assunto estranho, eu e um amigo meu passávamos horas discutindo sobre esse tema... temas como: "A loucura leva a evolução da mente ou a evolução da mente leva a loucura?"
Mas nós nunca era-mos ouvidos, afinal era-mos loucos...

Iaiá disse...

Dizem que eu sou maluca, mas me acho tão normalzinha... :)

Aqui na Graça temos um maluco próprio: O Maluco Miguel, que é praticamente patrimônio histórico do bairro. Todo mundo conhece! hehehe

bjosss

A.J. MARTIN disse...

"O Alienista" é o meu livro de cabeceira (já viu que o cara é piradão, né?)
hehehe
Bjs

Wagner disse...

meu... vc está se saindo melhor do que eu nesse desafio!

e parabens pelo post numero 50!